Olivete Salmória
salmoriaolivete@gmail.com


Parceiros

Musica.jpg

Musica2.jpg

lages.png

 

lages_parque_jonas_ramos_peq.jpg

Arquivo

 
30 Junho 2016
ADR esclarece sobre recursos para pavimentação destinados a Lages

Olá, Olivete, tudo bem? O Governo do Estado solicita à senhora a gentileza de destacar os devidos esclarecimentos a respeito da nota “E para Lages, nada!”, publicada em seu blog na tarde desta quinta-feira, dia 30 de junho, questionando os recursos para obras viárias na cidade de Chapecó, no Oeste de Santa Catarina.

Como a senhora mesmo informou ao reproduzir notícia veiculada na edição de 29 de junho do jornal Diário Catarinense, os R$ 20 milhões recebidos pela prefeitura de Chapecó foram liberados pela Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc), instituição que, apesar de ligada ao Governo do Estado, atua como um banco que realiza financiamentos mediante projetos apresentados pelos clientes, sejam empresas ou prefeituras.

Chapecó está entre os 26 municípios catarinenses que apresentaram projetos e receberam um total de R$ 64 milhões do Badesc na última terça-feira, dia 28, para obras de infraestrutura e pavimentação de ruas - relação das cidades e os respectivos valores no link http://www.sc.gov.br/mais-sobre-desenvolvimento-economico/21367-governo-do-estado-e-badesc-garantem-r-64-milhoes-para-26-municipios.

Desde 2011, o programa Badesc Cidades contemplou 230 municípios catarinenses (78% do total) com 457 contratos que, juntos, somam R$ 826 milhões. E a meta agora é chegar a R$ 1 bilhão nos próximos meses.

Nestes cinco anos, Chapecó recebeu R$ 18,4 milhões (não computados os R$ 20 milhões da última terça-feira). Lages, por sua vez, recebeu R$ 16,4 milhões, sendo que ainda há outros R$ 4 milhões a serem repassados de obras em andamento. Os pagamentos são feitos conforme a execução dos trabalhos. Um bom exemplo da presença do Badesc em Lages é a revitalização da Avenida Duque de Caxias.

Por isso, é importante esclarecer e destacar que o Badesc não pratica filantropia, mas financiamentos bancários. Como em qualquer banco, o cliente elabora e apresenta o projeto conforme suas demandas, recebe o dinheiro e depois paga o empréstimo.

Ao contrário do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam), programa criado pelo governador Raimundo Colombo para investimentos em áreas estratégicas e que vai distribuir R$ 605 milhões, sem contrapartida, a todas as 295 prefeituras do Estado.

Chapecó, por exemplo, recebeu R$ 3,7 milhões do Fundam para pavimentação asfáltica de uma comunidade do interior. Já Lages recebeu R$ 5,4 milhões para a pavimentação asfáltica de 24 ruas em vários bairros da cidade (relação das ruas e respectivos bairros logo abaixo).

Além dos recursos do Fundam, a prefeitura de Lages recebeu outros R$ 8,3 milhões do Governo do Estado para revitalização e pavimentação de vias como Rua Cirilo Vieira Ramos (bairro Habitação), Rua Bernardo Küster (São Miguel), Rua Bruno Lüersen (Vila Mariza), João Severiano Waltrick (Centro), Avenida das Torres (Guarujá), Acesso Sul e Avenida Santa Catarina.

Assim, só para obras de revitalização e pavimentação de vias urbanas, o Governo do Estado já repassou R$ 13,7 milhões ao município de Lages nos últimos cinco anos.

 

Ruas pavimentadas em Lages com recursos do Fundam

 

Ruas Acre (bairro São Cristóvão), Adolfo Furtado da Silva (Popular), Ana Costa (Frei Rogério), Argentina (Frei Rogério), Caetano Vieira da Costa (Centro), Coronel Lica Ramos (Sagrado Coração de Jesus), Cristiano Brescher (Santa Helena), Edgar Schmidt Ramos (Santa Maria), Fortunato Dias Batista (Coral), Francisco Santiago Dantas (Várzea), Frei Adelino (Ipiranga), Guerino Omizzollo da Silva (Caravagio), Hilda Schmist Piccinini (Coral), Jair Stringhni (Área Industrial), João Rogério Floriani (Sagrado Coração de Jesus), Joaquim Borges de Melo (Coral), José Córdova dos Santos (Centenário), Modesto Casagrande (Frei Rogério), Odemiro Mezzalira (Triângulo), Osni Pires (Vila Nova), Otávio Silveira Filho (Vila Nova), Romeu Ramos Lucena (Ipiranga), Senador Salgado Filho (Jardim Cepar) e Sergipe (São Cristóvão).

 

Pablo Gomes

Assessor de imprensa da ADR Lages

 

 

Última atualização em Quinta, 30 de Junho de 2016 22:40
30 Junho 2016
Pesquisadores norte-americanos discutiram o uso de dejetos suínos na adubação

b0af426d_4809_44f4_a746_29e38067763d.jpg

O CAV sediou, ontem (29), o 2º Encontro Técnico Sul-Brasileiro de Gestão Ambiental da Suinocultura. Dois professores da Universidade Estadual da Carolina do Norte (NCSU), nos Estado Unidos, Thomas Jot Smyth e Carl Crozier, falaram de questões ecológicas na produção, uso e manejo da matéria orgânica de suínos na América e da adubação com dejetos animais.
                           
Para Crozier, a troca de experiência entre as universidades pode colaborar com a legislação ambiental sobre o uso de dejetos em solos catarinenses. "A importância deste evento para técnicos e acadêmicos está na união. Há muitas informações desencontradas e isso faz com que a suinocultura fique atrasada".


 

Última atualização em Quinta, 30 de Junho de 2016 19:56
30 Junho 2016
Municípios tiveram uma perda de 9,85% no repasse do FPM este ano

Desde janeiro o Fundo de Participação dos Municípios - FPM vem fechando o acumulado do ano em queda mês a mês.

Segundo cálculos da Fecam os valores repassados de janeiro a junho somam R$ 1.691.773.879,57, o que representa uma queda de 1,44% em relação ao ano passado. Considerando a inflação no período o quadro é ainda mais desanimador, chegando a uma perda real de 9,85%, ou seja, mais de R$ 184 milhões.

"A contínua queda apresentada pelo FPM confirma a depressão econômica vivenciada pelo Brasil e as expectativas dos próximos meses demostra a necessidade de uma gestão financeira cautelosa, já que em julho estima-se, segundo a STN, queda de 13% na transferência", expões o economista da Fecam, Alison Fiuza.

30 Junho 2016
Lotéricas querem aumento de 23,39% nos repasses dos serviços

091a3852_9c13_496e_9dd8_b98f8ca416f0.jpg

Cerca de dois mil agentes lotéricos participaram do encontro, em Brasília, para cobrar da Caixa aumento de 23,39% nos repasses dos serviços bancários da instituição prestados pelos lotéricos.

 

2730f51e-f773-4080-8dd1-d9273bfee736_1.jpg

A deputada Camen Zanotto estava lá e defendeu que o reajuste seja autorizado no curto prazo. Também cobrou mais transparência da Caixa a espeito dos critérios que o banco utiliza para autorizar a abertura de novas lotéricas. Esse foi outro ponto debatido na audiência.

Segundo os representantes dos lotéricos, atualmente tem sido comum a convivência de duas lotéricas muito próximas umas das outras, o que estimula uma concorrência predatória.

 

Última atualização em Quinta, 30 de Junho de 2016 14:58
30 Junho 2016
E para Lages, nada!

IMG_20160629_WA0046.jpg

R$ 40 milhões somente para Chapecó pavimentar suas ruas. 

E nós aqui.... dando milho aos pombos e esperando Godot...

O governador lageano podia fazer o mesmo pela sua cidade.

Sem contar que os recursos para a saúde foram cortados em 25%. Está difícil até para comprar remédios. 

Última atualização em Quinta, 30 de Junho de 2016 13:36
30 Junho 2016
Achyles Marin foi um exemplo de empresário e cidadão

Perda.jpg

É verdade que não vivemos para sempre, mas o empresário Achyles Marin é um exemplo de cidadão que não morre com ele.

Com um coração enorme, houve época em que distribuia pão de graça todos os dias aos pobres. Sem falar em outras contribuições à sociedade.

Tive o prazer de conhecê-lo e deixo aqui minhas sinceras condolências por essa perda.

30 Junho 2016
Aparelho de ressonância deve ser recuperado em uma semana

Falha.jpg

Fonte: Correio Lageano

Os problemas no aparelho se deu em função de uma queda de energia no início do ano. A tão poderosa Celesc deveria arcar com o alto custo - R$ 236 mil - para o reparo e até pagar o custo dos exames encaminhados para os laboratórios locais.

Por outro lado, sei que esses acidentes acontecem, mas o hospital certamente dispõe de estabilizadores de energia para evitar danos causados pela oscilação da corrente elétrica.

 

30 Junho 2016
Uma candidatura a prefeito precisa ser construída

 

Parece que o Partido Ecológico Nacional e o Partido Verde são os primeiros a firmar aliança para as eleições desse ano em Lages. Estão juntos – coligados com outras siglas ou não - no propósito de marcar presença, entendendo que, as agremiações que não participam do processo eleitoral não contribuem com a política local.

Domingos_e_Elizeu.jpg

PEN e PV são partidos afins em suas propostas de defesa da natureza e princípios políticos. Em Lages o PV tem como presidente Domingos Valente e está à frente do PEN, o professor Antônio Chaves.

Antonio_e1406900533151.jpg

Esse é o eterno candidato, embora pela primeira vez a prefeito, e já integrou várias siglas, nessa sua permanente peregrinação política. Na última eleição foi candidato a deputado federal pelo PMN e agora concorre pelo PEN, nessa coligação.

Vêm para a disputa dispostos a fazerem o diferencial. Concordo que é preciso participar e dividir com o eleitor seus princípios ideológicos e propostas para administrar o município.

Como o professor Chaves, temos outras pessoas igualmente idealistas que já se colocaram como pré-candidatos a prefeito: Andréia Strasser pelo PDT; Coronel Chrisóstomo, do PRB e Sérgio Godinho, pelo PTC. Tenho certeza que, todos eles, têm propostas interessantes para superação dos problemas locais. Contudo, eles mesmo têm consciência de que serão meros coadjuvantes no processo, pois pertencem a partidos que não têm dinheiro e nem militância para levar uma campanha adiante.

 

Querem apenas marcar presença

Se realmente tivessem o propósito de contribuir administrativamente, se ocupariam em construir uma candidatura viável, a começar se elegendo a vereador. Se não eleger-se vereador, muito menos conseguirá ser bem sucedido na disputa majoritária. Como vereador, teriam condições de expor suas ideias, defender propostas e fazer leis que contribuam para melhorar o dia-a-dia dos cidadãos ou da cidade.

E, conquistariam simpatizantes para suas causas. Elegendo-se vereador, fortaleceriam a sua sigla e sua liderança para então, só depois, pretender administrar Lages.

30 Junho 2016
Obra iniciada há cinco anos em Capão Alto está parada

campoBelo.jpg

13501700_1045732185504844_1863182938646015110_n.jpg

13567054_1045732092171520_8359754100061397709_n.jpg

Fazem cinco anos que está obra foi iniciada, foram gastos mais de três milhões de reais na construção da referida, e até a presente data, ainda não entrou em funcionamento e pelo visto, não existe nenhuma previsão para esse mister..
Em relação a mesma, tem outro fator de extrema gravidade, a grande maioria das residências do centro da Capão Alto, já estão integradas a rede de esgoto, que está sendo jogado em córregos que desaguam em um rio que percorre o interior, vindo a desaguar no rio caveiras..
Esse fato nada mais é do que crime ambiental....
Pelo valor despendido em tal obra, já era para a mesma estar funcionando a todo vapor....
Mas as fotos mostram o estado em que as edificações se encontram.....

 

Marcos Antônio Lopes

30 Junho 2016
Três municípios vão compartilhar abrigo institucional

CampoBeloPrefeito.jpg

Campo Belo do Sul tem o prazo de dois meses para montar a estrutura necessária do abrigo institucional. Atualmente três crianças estão nesta casa de abrigo, mas a unidade comporta até dez.

O Consócio Serra Catarinense – Cisama, da Amures, está ajudando as prefeituras a regularizando esses abrigos. A proposta em discussão, é de que, em Campo Belo, se faça uma gestão compartilhada com os municípios de Capão Alto e Cerro Negro que são da mesma comarca e contam com número reduzido de crianças e adolescentes que necessitem desse serviço.

Para isso, deverão ser encaminhados projetos de lei para que as Câmaras autorizarem orçamento específico para manter o abrigo. 

Reunião essa semana com os técnicos da Amures e o prefeito de Campo Belo, Edilson Souza, discutiu os encaminhamentos.

Foto: Oneris Lopes

Início  |  « Anterior12345678910Próximo »  |   Fim