Olivete Salmória
salmoriaolivete@gmail.com


Parceiros

 

lages.png

 

lages_parque_jonas_ramos_peq.jpg

 

Arquivo

 
12 Maio 2017
Férias no Hospital Tereza Ramos têm de ser diluídas ao longo do ano

 

1c111523ebedc955fcd8fd6d7c2b6a2c.jpg

“Como são 800 servidores atuando no Hospital Tereza Ramos, as férias destes funcionários são sempre programadas de forma a diluírem ao longo do ano, permitindo que dentre 60 a 70 deles gozem suas merecidas férias durante o mês. Mas tem a questão dos atestados de saúde que a gente não consegue prever e hoje temos uma demanda grande de atestados. Há portanto uma previsão de escala de trabalho que no meio do caminho se quebra e somos obrigados a remanejar servidor”

Diretora do Hospital Tereza Ramos, Beatriz Montemezzo explicando a dificuldade que levou o fechamento temporário da Ala Portinari para não perder a qualidade do atendimento da unidade.

 

Beatriz também reclama de outra coisa:  o desaparecimento de peças e objetos do hospital

 

_“A população tem de intender que ela tem de ser bem atendida, mas tem de valorizar o que ela tem. Tem obrigação moral de cuidar do que é dela. Temos de zelar pelo que é nosso, disse a diretora do Hospital Tereza Ramos, Beatriz Montemezzo, ao narrar que muitas pessoas entram no hospital e se sentem no direito de quebrando e depredar e levar coisas para casa.

Muitos objetos como cobertores, toalhas, televisores e até extintores são levados do hospital.

12 Maio 2017
Buracos da iluminação, sem proteção e nem sinalização

18486204_928972627241618_3983812542624756766_n.jpg

As pessoas estão reclamando e houve algumas que até se machucaram ao sair do carro e acabar caindo no buraco da iluminação subterrânea.

Realmenrte é um buraco grande demais para ficar a descoberto, sem proteção e sem sinalização alguma.

Pensamos que o processo seria mais rápido, mas está lento e ainda deixa esta situação. Este buraco é da rua Marechal Deodoro, e lá podem ser vistos vários deles.

 

12 Maio 2017
Tyrone explica a razão do Ceu ter de ser "reinaugurado"

Olivete, boa tarde.

   Meu nome é Tyrone Machado, sou servidor efetivo no cargo de Educador Físico em programas Sociais da Secretaria Municipal de Assistência Social e Habitação e atualmente, estou à frente da Coordenação da Praça CEU, mas, atuo desde 2013 naquele equipamento, antes mesmo do prédio estar totalmente concluído. Vou tentar te explicar o porquê a praça precisa ser "reinaugurada".

   No ano de 2010, o Governo Federal por intermédio do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, através da PORTARIA N° - 484, tornou público o resultado da seleção das propostas a serem apoiadas para a implantação das então denominadas Praças do PAC, definido no Anexo I da Portaria Interministerial nº 401, de 9 de setembro de 2010, com recursos do Orçamento Geral da União – OGU.

   Através desta portaria, nosso município foi contemplado com um espaço contendo três mil metros quadrados onde estão localizados dois edifícios multiuso dispostos numa praça de esporte e lazer; uma unidade do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS); salas multiuso; biblioteca com dois mil volumes; laboratório de informática; telecentro; cine teatro/auditório com 60 lugares; quadra poliesportiva coberta; pista de skate; equipamentos de ginástica; playground e pista de caminhada.

   Quando um município faz o aceite de projetos como este, ele também se compromete a realizar uma série de ações antes, durante e após a execução da obra física e inicio das atividades á comunidade, só então, depois de realizadas estas condicionalidades pré-projeto, é que o órgão libera para a inauguração oficial.

   Para sua ciência, são algumas das condicionalidades exigidas pelo MINC para a liberação e inauguração do equipamento, é que seja enviado o relatório de mobilização social, seja constituída (legalmente) uma gestão compartilhada tripartite composta por membros da sociedade civil organizada, moradores e usuários dos equipamentos e por membros governamentais, seja construído um estatuto da praça com regras, horários, etc. elaborados pela própria comunidade e, para oficializar, seja convidado um membro do Ministério da Cultura e/ou Assistência Social para estar presente no ato de inauguração. Além disso, toda a prestação de contas da execução da obra e de aquisição de equipamentos tem que, obrigatoriamente, ser aprovado por técnicos da Caixa Econômica que é o órgão que fiscaliza e libera os recursos do projeto, esta aprovação, apenas conseguimos a cerca de 15 dias.

   No início deste ano, procuramos a nova administração e sinalizamos que a praça, havia sido inaugurada em um ato estritamente a nível municipal, sem que várias etapas obrigatórias e previstas nos editais de normatização da execução do projeto CEU tivessem sido cumpridas, incluindo as acima citadas e em uma decisão colegiada, decidiu-se a suspender as atividades e focar na regularização das pendências, até porque, legalmente, não tínhamos a liberação do uso do equipamento por parte do MINC.

   Para contribuir, na data de 14 de fevereiro de 2017, o Ministério da Cultura, entidade responsável pela fiscalização e execução do projeto CEU, encaminhou o Ofício SEI n°6/2017/CGGEQ/DOGEC/SEINFRA-MINC, destinado ao Prefeito Antônio Ceron onde sinalizou pendências nas etapas de Mobilização Social bem como algumas irregularidades no projeto, execução e finalidades do equipamento e solicitou a agilização das pendências e uma data para ser inaugurada. 

   Desta forma, dês de então, estamos trabalhando arduamente para regularizar esta documentação bem como corrigir as pendências da estrutura física e na construção da licitação para aquisição dos equipamentos que ainda não foram adquiridos, afinal, dos equipamentos previstos no projeto, apenas metade já foi adquirido, o restante, estamos trabalhando de forma improvisada com cadeiras e mesas emprestadas, por exemplo.

   Já conseguimos encaminhar grande parte dos documentos faltantes e desta forma, na semana passada, conseguimos a liberação por parte do MINC para iniciar as atividades ofertadas á comunidade e estamos trabalhando com as demais secretarias envolvidas no projeto para elaborarmos um hall de atividades para o equipamento.

   Espero ter contribuído para sanar a sua dúvida e me coloco a disposição para maiores esclarecimentos.

Att;
 
Tyrone Machado 
Secretaria de Assistência Social e Habitação 
Coordenação Vida Ativa 
Coordenação Praça CEU

 

 

 

 

Última atualização em Sexta, 12 de Maio de 2017 14:43
11 Maio 2017
Não entendi porque o Ceu precisa ser reinaugurado

Praca_do_CEUabre_inscricoes_para_oficinas_de_teatro_1472499160_1.jpg

 A RBS exibiu matéria hoje a respeito das praças do Ceu construídas em SC com recursos federais. Com exceção de Chapecó e Gaspar, as demais estão abandonadas.

Para minha surpresa, a praça de Lages está desativada e a informação é de vai precisar ser reinaugurada, porque a inauguração feita no ano passado não teve validade. O governo federal não reconheceu como obra concluída e entregue.

É certo que a inauguração foi adiada por várias vezes porque estavam depredando e como tinha equipamentos caros lá dentro, foi então cercada. Só depois disso é que começou a funcionar, inclusive era coordenado pela professora Sirlei Bordin

11 Maio 2017
Situação da BR 282 será exposta pela Fiesc

 

A Câmara de Assuntos de Transporte e Logística Fiesc realiza reunião em Lages, no dia 12 de maio, amanhã, das 14h às 15h40min, na Associação Empresarial de Lages (ACIL).

No encontro serão apresentadas a análise que mostra a situação das rodovias estaduais da região e a Proposta de Manifestação de Interesse (PMI) da BR-282. 

 
 
11 Maio 2017
Pneus só poderão ser utilizados se forem cortados

unnamed_27.jpg

Os pneus usados como corpo de proteção nas pistas de kart, autódromos, estacionamentos e outros espaços transformaram-se num problema de saúde pública, pois acumulam água e se tornaram um criatório de larvas do mosquito Aedes aegypti, da dengue.

 

Com o parecer do deputado Gabriel Ribeiro (PSD), a Comissão de Finanças aprovou projeto de lei de autoria do deputado Manoel Mota (PMDB) que proíbe o uso de pneus inteiros nestes locais. Pela matéria, os pneus só poderão ser utilizados se forem cortados, sem a parte côncava, ou perfurados, de maneira que não acumulem água. O projeto engloba os espaços públicos e privados.

 
11 Maio 2017
Administração vai plantar 20 mil árvores

unnamed_25.jpg

Mais de 30 mil mudas estão sendo preparadas no Horto da Prefeitura. Parte delas vai para decorar o Parque Conta Dinheiro, durante a Festa do Pinhão. O prefeito foi informado pelo secretário Euclides Mecabô do projeto em elaboração, de plantio de aproximadamente 20 mil árvores, nos quatro anos de gestão.

O prefeito Antonio Ceron esteve no horto e constatou que se fossem compradas custaria aos cofres públicos mais de R$ 35 mil. Porém com a produção desenvolvida pelos servidores da Prefeitura, o custo é mínimo, ou seja, menos de R$ 3 mil.

 

unnamed_26.jpg

No mesmo local, o prefeito Ceron lamentou ao ver mais de 100 lixeiras plásticas azuis quebradas ou queimadas por vândalos. Todas foram substituídas e obviamente pagas pelo dinheiro público.

Fotos: Greik Pacheco

11 Maio 2017
Fecha loja de construção de 39 anos

unnamed_24.jpg

Página 11 do Jornal O Momento

 

O fechamento da Loja Cepar já era comentado nos bastidores há tempos. Ouvimos falar inclusive da venda para as Casas da Água. Mas, pelo visto não houve negociação.

unnamed_29.jpg

Última atualização em Quinta, 11 de Maio de 2017 16:40
10 Maio 2017
A Casa de Apoio Colibri está pedindo ajuda

 

Dona Neusa de Oliveira,  fundadora e presidente da Casa de Apoio Colibri informou hoje que com o dinheiro do convênio com a prefeitura - sustado em função do Marco Regulatório -  eram pagos parte dos salários dos funcionários. Com a perda de tais recursos está complicada a manutenção da casa:
"Nós trabalhamos para manter a casa, mas precisamos algum recurso fixo, já que o que arrecadamos vem de doações e voluntariado, que nem sempre resulta numa mesma quantia e não sabemos se será suficiente para cobrir nossas despesas. Esperamos que, em breve, consigamos encontrar uma forma de celebrar novos convênios. Estamos preparadas para elaborar projetos com esse fim."
 
Colibri.jpg
 
Criada há 14 anos em Lages, a Casa de Apoio Colibri atende 35 pacientes de câncer por mês. São pessoas vindas de várias cidades da Serra Catarinense e também de outros municípios do Estado.
 
A Casa tem uma despesa mensal de, aproximadamente, R$ 12 mil, sendo que quase 50% desse valor refere-se ao pagamento da folha de três funcionários.
 
Como a casa se mantém?
 
Com os recursos de convênio, doações e o trabalha das volutárias que produzem artesanato cujo venda reverte para a casa, além de um brechó abertos todas as tardes de quartas-feiras e quintas-feiras, na própria sede da entidade. 
 
Colibri2.jpg
 
Outra fonte de renda são os dois eventos promovidos pela equipe de voluntárias: um jantar beneficente, sempre promovido no mês de junho; e um café colonial com bazar, que acontece no mês de novembro.
 
A Casa de Apoio Colibri está pedindo ajuda
 
Quem quiser contribuir, pode fazê-lo por meio de doações em dinheiro, doações de roupas para serem vendidas no brechó, comprando no brechó e participando dos eventos promovidos pela instituição.
 
A Casa de Apoio Colibri fica na Avenida Belisário Ramos, Bairro Copacabana, em Lages e o telefone de contato é o (49)3227-0799.
 
Fotos e informações: Cláudia Pavão
10 Maio 2017
Remuneração de conselheiro da Celesc

CeronCelesc__2_.jpg

Estava faltando esta informação. Ai está.

Se é legal ou não é uma outra discussão. 

Início  |  « Anterior12345678910Próximo »  |   Fim