Olivete Salmória
salmoriaolivete@gmail.com


Parceiros

lages.png

 

lages_parque_jonas_ramos_peq.jpg

 

Arquivo

 
Diocese expede nota a respeito do padre de São Joaquim e seu envolvimento em crime sexual

 

Comunicado da Diocese de Lages à imprensa

Num mundo individualista e egoísta, o maior problema é amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. “O que não gostas, não o faças a ninguém” (Tobias 4-15 e o livro do Levítico 19-18). Indo ao encontro da notícia publicada nos diversos meios de comunicação “Padre é investigado por crime sexual”, esclareço que a diocese está tomando todas as medidas cabíveis relativas ao caso. Até agora, a Polícia Civil não encontrou provas cabais que incriminassem o padre (Joacir). Continua a investigação. É necessária, portanto, aguardar o resultado final da investigação para não se cometer julgamentos precipitados. A Diocese está tomando providências concretas em relação às denúncias e acusações contra o padre. Já está em andamento uma investigação prévia de acordo com o Código de Direito Canônico, conforme o Cânon 1717, afim de averiguar se há ou não o referido delito. Esta investigação está a cargo de um investigador ou auditor e por um notário, por mim nomeados. Enquanto perdurar a investigação, o referido padre ficará suspenso dos exercícios ministeriais. Lembramos a todas as pessoas de boa vontade que a Igreja, de nenhum modo, é conivente com tal crime. Tem profunda compreensão e solidariedade com as vítimas e seus familiares, bem como trata este e outros casos semelhantes de forma rigorosa e transparente. Rezemos para que esta realidade possa nunca mais existir no mundo, em especial, na Igreja.

 

Lages, 30 de outubro de 2017

 

D. Nelson Westrupp

Administrador Apostólico da Diocese de Lages

Segunda, 30 de Outubro de 2017 15:14
Escrito por: Olivete Salmória | Última atualização em Segunda, 30 de Outubro de 2017 15:22

Comentários  

 
#3 Pedro Machado 30-10-2017 19:56
Segundo a acusação, padre utilizava as mídias sociais para tentar obter fotos das genitais de um menino de 13 anos… O padre alegou para a polícia que teria perdido o celular. Como provas a polícia tem as fotos que o pároco tirou dentro de seu próprio quarto e as mensagens trocadas com o menino... quer mais, senhor bispo?
 
 
#2 Pedro Machado 30-10-2017 19:56
Segundo a acusação, padre utilizava as mídias sociais para tentar obter fotos das genitais de um menino de 13 anos… O padre alegou para a polícia que teria perdido o celular. Como provas a polícia tem as fotos que o pároco tirou dentro de seu próprio quarto e as mensagens trocadas com o menino... quer mais, senhor bispo?
 
 
#1 Pedro Machado 30-10-2017 17:42
Nota chumbrega... Se fotos nuas, mandadas para as crianças não é prova, então o que precisa, Senhor Bispo? Ato sexual explicito? Faça me o favos, existe um monte de caos... A família, deveria de pedir uma indenização....
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar Código