Olivete Salmória
salmoriaolivete@gmail.com


Parceiros

unnamed_38.jpg

 

251.jpg

 

unnamed_18.jpg

 

Arquivo

 
Manter mais de 200 cachorros em um apartamento é um caso para a vigilância sanitária

Acompanhei pelo jornal Correio Lageano e pelo rádio o drama de uma senhora de mais de 70 anos que tem em seu apartamento e em uma chácara, um total de 300 cachorros.

Ela está pedindo socorro ao poder público porque está com seu esposo de 80 anos doente, convivendo com todos estes animais. Sem contar que diz ter um gasto de R$ 14 mil por mês para alimentar e cuidar de todos. Conta que foi recolhendo estes animais abandonados ao longo do tempo e agora precisa de uma solução urgente.

Entendo que é bastante fácil se criar um problema e entregar nas mãos do poder público para que dê um jeito.  

 

O secretário do Serviço Público e Meio Ambiente, Euclides Mecabô até tentou ajudar se propondo a tomar uma certa quantidade deles mensalmente, castrá-los e chipa-los, colocando-os em seguida para doação. Mas ela queria garantias de que estes animais fossem mesmo bem tratados.

Exigiu também que a prefeitura encontrasse primeiro uma colocação para os mais de 100 deles que estão em uma chácara porque ela teria vendido e precisava desocupa-la. Chegou a sugerir que a poder público alugasse um espaço para coloca-los sob pena de solta-los na rua. Significa dizer: fazer aquilo que ela condenou, tanto que recolheu-os em sua casa.

O secretário quis dar um tratamento humanitário a um problema que é de saúde pública. Mas, na realidade trata-se de uma tarefa para a Vigilância Sanitária.

Manter cerca de 200 cachorros em apartamentos, convivendo com humanos, obviamente que oferece alguns riscos, mesmo que se tenha aí todo o cuidado necessário. Acha possível manter a higiene de todos estes animais e do espaço que ocupam?

Só se tivesse uma dezena de funcionários e, pelo que sei, ela cuida sozinha.

Acho que esta senhora não está em condições sequer de fazer exigências. Mesmo para quem defende a causa, não há como concordar com a atitude de alguém que somente vá recolhendo-os, a exemplo dos acumuladores, sem pensar no problema que está criando, para a sua família, para os vizinhos e todos que com eles convivem e, inclusive, aos próprios animais.

Comentários  

 
#1 Baldessar 12-01-2018 14:03
A fiscalização do meio ambiente incompetente demanda pra fiscalização mais incompetente ainda da saúde e assim segue a tropa... risos
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar Código