Olivete Salmória
salmoriaolivete@gmail.com


Parceiros

251.jpg

 

unnamed_18.jpg

 

Arquivo

 
Poucos vereadores se destacaram no primeiro ano da atual legislatura

 

A maioria dos 16 vereadores desta legislatura tem uma atuação muito tímida e alguns até chegamos a esquecer que estão lá. João Chagas, por exemplo, foi bastante atuante na gestão passada e hoje a sua presença na Câmara quase passa despercebida.

veread.jpg

Assim também acontece com os vereadores Vone Scheuermann, Thiago Oliveira, Pedro Figueredo, Ivanildo Pereira e Osni Freitas. Mesmo o líder do governo, Gerson dos Santos, não tem conseguido se destacar uma vez que não conseguiu dar a sua identidade às ações no legislativo.

Há ainda os vereadores cuja atuação, ou por falta de posicionamento ou por ter atitudes controversas, não marcaram posição, mas que hoje conhecendo melhor a casa e as relações dos poderes podem fazer acontecer de uma forma diferente. Um político se destaca pelo seu posicionamento. A serviço de uma causa.  

Vereadores__2_.jpg

Não há dúvida de que os vereadores que firmaram posição no primeiro ano foram Jair Júnior (PSD), Lucas Neves (PP), Bruno Hartmann (PSDB) e Aidamar Hoffer (PSD). Mesmo em prejuízo das relações com o partido, Jair tem tido uma atuação importante, cumprindo uma tarefa que a oposição não está atendendo que é a de fiscalizar. Lucas Neves, um pouco mais moderado nas críticas, se destaca pelo trabalho feito e de uma maneira um pouco diferente de cobrar ações da administração. Bruno Hartmann foi o que mais produziu projetos de lei em 2017, muito das quais polêmicos, mas inquestionavelmente importantes. Desvia a atenção até de seu comprometimento com o executivo com os cargos que preencheu na administração.

Aidamar3.JPG

Aidamar Hoffer protagonizou no primeiro ano, como presidente da Câmara, não apenas por ser a primeira mulher a ocupar o cargo, mas por atacar algumas questões prementes como a redução dos gastos do legislativo.

Apesar de que o tão propalado enxugamento do legislativo tenha sido mais retórico que prático. Os cargos extintos aconteceram em decorrência da redução do número de vereadores e determinações do Ministério Público.

Vamos ver agora, como vice-presidente, qual será seu posicionamento. Esperamos que, neste segundo ano de legislatura, os demais vereadores deixem a sobra dos holofotes e mostrem suas caras e os propósitos pelos quais foram eleitos.

 

Comentários  

 
#1 Hilo Joel 24-01-2018 11:01
Isso prova que a sociedade não precisa desse tipo de representante. Função totalmente inútil. O que eles fazer poderia ser feito dentro das próprias prefeituras via secretários ou comissões para este fim. Não valem o que gastam.
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar Código