Olivete Salmória
salmoriaolivete@gmail.com


Parceiros

 

Lages.jpg

 

unnamed_18.jpg

 

Arquivo

 
Prefeito esteve no Centro Administrativo para ver a situação dos convênios

Falando a respeito do convênio para elaboração do estudo técnico (com a Udesc) sobre as causas das cheias em Lages, cujos recursos da União, via Secretaria Nacional da Defesa Civil já foram depositados na conta da prefeitura (R$ 800 mil), o prefeito Antônio Ceron observou que o parecer do Tribunal de Contas referente a 2017 tem pouquíssimas ressalvas, recomendando à Câmara a aprovação das contas que estará a critério da análise dos vereadores nos próximos dias.

 

Ceron110_1.jpg

 

Com referência aos convênios com o governo do estado, o prefeito lembrou que ainda na semana passada esteve em audiência no Centro Administrativo, onde foi feita a negociação com o governo do estado de alguns convênios em andamento. Em alguns deles houve perdas.

Um convênio de R$ 5 milhões mantidos para melhorias de ruas, vieram R$ 1,8 milhão. “E, R$ 3,8 milhões foram suprimidos. Não há mais saldo”.

 

Do convênio para a revitalização do Mercado Público, eram R$ 8 milhões. Há R$ 4 milhões em caixa e outros R$ 4 milhões virão na medida em que a prefeitura for prestando contas da obra. Há que se destacar que pelo convênio com o governo do estado havia terminado o prazo para a concretização das obras em 30 de novembro, mas a administração conseguiu prorroga-lo para até o final do ano que vem. Portanto tem mais doze meses para ser concluída esta revitalização.

 

No caso da revitalização do centro o convênio é de R$ 15 milhões. A licitação saiu por R$ 13,9 milhões. Foi mantido o convênio de R$ 5 e “temos um saldo para ser repassado de R$ 9,43 milhões e ainda há a possibilidade de algum aditivo”, diz Ceron. Adianta que não há nenhuma parcela atrasada e ele acredita que até a metade de 2019 há dinheiro para tocar a obra.

 

Na pavimentação de ruas havia um saldo de 2,8 milhões e foi suprimido 1,6 milhão e sobraram ainda lá 1,2 milhão. “No convênio de melhoria das estradas do interior eram R$ 10 milhões, vieram seis e os outros R$ 4 milhões a água levou. Não tem mais nenhum centavo, infelizmente”, lamentou o prefeito.

 

Ao fazer este balanço dos convênios, Ceron festejou o fato de Lages estar entre as prefeituras de maior transparência de suas contas conforme relatório divulgado pelo CGU. “Estamos felizes com os números que a Controladoria Geral da União mostra, quanto a participação de Lages na transparência das ações e há necessidade de nós aprimorarmos ainda mais,” disse ele.

 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar Código